+Lupinus

Enquadramento do Projeto +LUPINUS (Tremoço)

 

O Tremoço (Lupinus L.) é membro da família das leguminosas, sendo possível encontrar espécies herbáceas anuais e arbustivas perenes. A elevada densidade de espécies pode ser agrupada em espécies do Mediterrâneo e "velho mundo" do Leste Africano e espécies do "novo mundo", América. Sendo uma leguminosa, os tremoceiros têm a capacidade de fixar azoto atmosférico por meio de uma simbiose entre o rizóbio (bactéria) e as raízes da leguminosa. Em conjunto com um sistema radicular profundo, está explicada a sua elevada tolerância a solos inférteis. 

De uma forma geral, o tremoço é utilizado como cultura verde, permitindo a redução de custos ao agricultor na utilização excessiva de adubos sintéticos (considerados prejudiciais para o ambiente), a poupança nos custos energéticos na síntese desses mesmos adubos, a redução nos custos de aplicação de adubos, o aproveitamento do azoto atmosférico disponível e o aumento do teor em matéria orgânica do solo.

 

 

Fora do âmbito agronómico e do complexo agroalimentar existem aplicações de ordem muito variada. A extração de proteínas do tremoço tem um largo espetro de utilizações para as quais só recentemente começaram a ter aplicações práticas. Essas aplicações vão desde a cosmética, à indústria farmacêutica, passando pela transformação e fabricação de produtos fitofarmacêuticos. 

O tremoço, é de fato, atualmente, mais do que um simples produto. A mudança de paradigma nas práticxas ambientais, a exigência dos consumidores e o aparecimento de novos mercados, fazem desta leguminosa uma cultura de futuro e com um enorme potencial agroeconómico. 

Pretende-se criar assim, um itinerário técnico para a produção homogénea de sementes com elevada qualidade.

 

Metas e Objetivos do Projeto +Lupinus

 

Metas


Este projeto apresenta um conjunto de metas gerais de forma a ir ao encontro dos objetivos definidos, como:

 

  • Criação de um itinerário técnico para a produção homogénea de sementes com elevada qualidade;
  • Definição de um conjunto restrito de variedades com maior potencial de aumento dos resultados económicos dos agricultores e com maior aceitação pelo mercado;
  • Procura pela variedade com melhor adaptabilidade às condições de campo no sentido de otimizar os resultados dos produtores nacionais;
  • Definição de um modelo de negócio associado à cultura que permita motivar os agricultores a produzirem esta cultura em sistema de rotação;
  • Definição das melhores prática e parâmetros de qualidade necessários para a limpeza, armazenagem e embalamento do grão obtido pelos agricultores;
  • Fornecimento de semente de qualidade elevada aos agricultores portugueses;
  • Incorporação dos resultados na Lusosem;
  • Divulgação dos resultados obtidos ao setor;
  • Envolvimento dos clientes e dos stakeholders no processo e sensibilização dos mesmos para as vantagens ambientais inerentes à produção de Tremoço doce em Portugal.

 

Objetivos


O projeto "+Lupinus" tem como objetivo principal a redução da importação de tremoço doce (Lupinus albus) como matéria-prima quando temos condições e excelência para a sua produção em grande parte do território nacional, mas sobretudo na região do perímetro de rega do Alqueva. 

Pretende-se testar diferentes variedades de Tremoço para identificação das melhores produtoras de BLAD (proteína que confere proteção à planta do ataque de fungos), analisar a sua adaptação às condições de cultura no território nacional e fomentar a sua introdução nas rotações tradicionais, de sequeiro e regadio, substituindo as quantidades importadas pela produção nacional, de boa qualidade de BLAD e beneficiando os produtores com a introdução de uma cultura melhoradora. 

É igualmente propósito deste projeto, proceder à produção anual de sementes de qualidade e nas quantidades necessárias para assegurar em boas condições as respetivas áreas de cultura.  

Este projeto apresenta ainda, os seguintes objetivos gerais:

 

  • Aumento do conhecimento sobre o Tremoço doce em Portugal;
  • Seleção das variedades com maior potencial produtivo e de criação de valor para os produtores nacionais;
  • Definição das melhores práticas agronómicas de produção das variedades selecionadas;
  • Procura de uma variedade mais adaptada à realidade agrícola nacional;
  • Promoção da cultura do Tremoço de forma a permitir a sua integração em sistemas de rotação;
  • Redução do nível de importação do tremoço Doce, contribuindo para a melhoria da balança comercial agroalimentar.

 

Impacto gerado

 

A produção de proteína vegetal é um tema incontornável nos próximos anos em virtude do aumento do crescimento da população mundial. portugal não pode ficar de fora deste tema e tem de ser capaz de criar condições para aumentar de forma sustentável a produção de leguminosas e proteaginosas. 

Para que isso se possa concretizar é necessário trabalhar no aumento sistemático de culturas e, sobretudo, da qualidade do produto final obtido para que se possa criar valor ao longo de toda a fileira e que permita captar um conjunto tão vasto quanto possível de bons produtores. 

Assim, este projeto permite desenvolver um novo processo com vista à obtenção de variedades mais resistentes e de valor acrescentado, com uma forte componente de aumento do conhecimento agronómico da cultura do tremoço e dos necessários processos de seleção e armazenamento de semente e de grão. 

Para além disso, o Tremoço pode ser uma cultura muito importante num modelo de rotação de culturas em muitas das zonas agrícolas de maior potencial do país, nomeadamente no perímetro de rega do Alqueva. Isto significa que a utilização da cultura do Tremoço em regime de rotação permite que o solo seja enriquecido com azoto fixado pela plantas. Desta forma é possível cerca de 30 unidades de aplicação de azoto industrial no solo.

Fonte: Website Projeto + LUPINUS

 

Este projeto conta com o apoio de:

 

PRODUTOS

ONDE COMPRAR

Localize o distribuidor mais perto de si:

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER