SPINTOR

SPINTOR

Máximo controle de tripes e lagartas lepidópteros

insecticida natural

 

Eficácia natural
Máximo controlo da traça dos cachos, de lagartas do tomate e do bichado da fruta, entre outros
Total selectividade para as culturas homologadas
Baixa toxicidade para utilizadores e perfil ambiental muito favorável
Recomendado para programas de Protecção Integrada

Composição e formulação : spinosade

Nº de Autoriz. Venda: 0288


Utilize os produtos fitofarmacêuticos de forma segura. Leia sempre o rótulo e a informação relativa ao produto antes de a utilizar.

 

COMPOSIÇÃO E FORMULAÇÃO
Suspensão Concentrada (SC) com 480 g/L ou 44% (p/p) de spinosade

Embalagens: 500 mL 

 

MODO DE AÇÃO

SPINTOR é um insecticida obtido de forma natural, por fermentação de um organismo do solo, a bactéria Saccharopolyspora spinosa. Contém a substância activa spinosade, pertencente à família química spinosina.
É um insecticida de contacto e ingestão, que actua no sistema nervoso dos insectos, como activador do receptor nicotínico da acetilcolina.

Número máximo de Aplicações por campanha: Em qualquer caso, o número máximo de aplicações de SPINTOR por campanha, para qualquer cultura, é de 3.

 

Modo de Preparação da Calda: Na preparação da calda deitar metade do volume de água adequado para a pulverização prevista. Agitar bem o produto na embalagem, até ficar homogéneo. Juntar a quantidade de produto necessário e completar o volume de água pretendido, assegurando agitação contínua.

 

Modo de Aplicação: Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas no caso das culturas arbustivas e arbóreas), com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.  Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

 

Principais Culturas

Pragas

Concentração / Dose

Nº de tratamentos

Condições de aplicação

Videira
Uvas para vinificação e uva de mesa

Traça dos cachos (Lobesia botrana)

10-12,5 mL /hL

100-125 mL /ha

2

Os tratamentos devem ser feitos na altura da eclosão dos ovos ou ao aparecimento das primeiras larvas ou da verificação dos primeiros sinais de ataque da praga, repetindo, se necessário, 7 a 14 dias após o primeiro tratamento.
Em regra, para a primeira geração um tratamento poderá ser suficiente.
Informações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas ou das capturas efectuadas na vinha em armadilhas com feromona permitirão definir a oportunidade dos tratamentos.

Videira
Uvas para vinificação

Áltica (Altica lythri)

Piral (Sparganothis pilleriana)

Tripes (Thrips sp)

20-25 mL /hL

(max. 0,1 – 0,15 L/ha por aplicação)

3

Tratar ao início da infestação, repetindo, se necessário, com intervalos de 7 a 14 dias.

Volume da calda: 200-500 L/ha

Videira
Uva de mesa

Tripes (Thrips sp)

20-25 mL /hL

(max. 0,2 L/ha por aplicação)

2

Tratar ao início da infestação, repetindo, se necessário, com intervalos de 7 a 14 dias.

Volume da calda: 200-500 L/ha

Tomateiro
(ar livre e estufa)

Lagartas (Helicoverpa armígera, Chrysodeixis chalcitos e Spodoptera sp.)

Traça do tomateiro (Tuta absoluta)

Tripes (Frankliniella occidentalis)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Tratar ao aparecimento da praga, repetindo, se necessário, com intervalos de 7 a 14 dias.

Macieira e Pereira

Bichado da fruta (Cydia pomonella)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

1

Aplicar o produto ao início de cada geração (eclosão dos ovos) repetindo, se necessário, a intervalos de 14 dias.
Seguir as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas ou as capturas em armadilhas com feromonas, como métodos indicados para um adequado controlo do bichado da fruta.

Volume de calda: 1000 L/ha.

Pessegueiro

Anársia (Anarsia lineatella)

Traça oriental do pessegueiro (Cydia molesta)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

2

Aplicar o produto ao início de cada geração (eclosão dos ovos) repetindo, se necessário, a intervalos de 14 dias.
Seguir as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas ou as capturas em armadilhas com feromonas, como métodos indicados para um adequado controlo das pragas.

Pessegueiro

Tripes (Thrips tabaci, Frankliniella occidentalis)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

2

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo, se necessário, 7-14 dias depois, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Volume de calda: 1000 L/ha.

Batateira

Escaravelho da batateira (Leptinotarsa decemlineata)

50-75 mL/ha

3

Aplicar o produto no início do ataque, repetindo se necessário a intervalos de 14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Morangueiro

(ar livre e estufa)

Tripes (Frankliniella occidentalis)

 

200 mL/ha

3

Aplicar o produto no início da maturação dos frutos, repetindo se necessário a intervalos de 7 dias.

Lagartas (Agrotis ípsilon, Spodoptera exígua, Spodoptera littoralis)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto no início do ataque, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Em estufa aplicar com lança ou pistola de pulverização.

Pimenteiro

(ar livre e estufa)

Lagartas (Helicoverpa armígera)

Tripes (Frankliniella occidentalis)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo, se necessário, a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Damasqueiro

Traça oriental do pessegueiro (Cydia molesta)

Tripes (Thrips tabaci)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

2

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário 7-14 dias depois, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Alcachofra

(ar livre)

Lagartas (Agonopterix subpropinquella)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo, se necessário, a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Algodoeiro

(ar livre)

Lagartas (Earias insulana, Helicoverpa armígera)

 

100-150 mL/ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Beringela

(ar livre e estufa)

Tripes (Frankliniella occidentalis)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Agrião de água

(ar livre)

Lagartas (Helicoverpa armígera, Spodoptera littoralis, Agrotis ípsilon, Agrotis segetum, Autographa gamma, Pieris brassicae, Pieris rapae)

Tripes (Thrips sp)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Couve-brócolo

(ar livre)

Lagartas (Pieris sp., Agrotis ípsilon, Agrotis segetum, Mamestra brassicae, Helicoverpa armígera, Spodoptera littoralis)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Courgette

(ar livre e estufa)

Lagartas (Autographa gamma, Helicoverpa armígera, Spodoptera littoralis)

Tripes (Frankliniella occidentalis)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Chicória

(ar livre)

Lagartas (Helicoverpa armígera, Spodoptera sp.)

Tripes (Thrips sp)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Feijão-verde

(ar livre e estufa)

Lagartas (Etiella zinckenella)

Tripes (Aeolothrips intermedius, Frankliniella occidentalis, Thrips fuscipennis, Thrips nigropilosus, Thrips tabaci)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Alface

(ar livre)

Lagartas (Autographa gamma, Agrotis ípsilon, Agrotis segetum, Helicoverpa armígera, Spodoptera littoralis, Chrysodeixis calcites)

Tripes (Thrips sp)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Milho doce

Lagartas (Helicoverpa armígera)

Brocas (Ostrinia nubilalis, Sesamia cretica, Sesamia nonagrioides)

100-150 mL/ha

2

Aplicar por pivot.

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Meloeiro

(ar livre e estufa)

Tripes (Thrips tabaci, Frankliniella occidentalis)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Pepino

(ar livre e estufa)

Tripes (Frankliniella occidentalis, Haplothrips setiger)

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto ao início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Bananeira

Lagartas (Spodoptera exígua)

Tripes (Frankliniella occidentalis, Thrips sp)

20-25 mL /hL

max 300 mL /ha

1

Aplicar o produto no início da infestação, e seguindo seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

Traça-do-cacho (Opogona sacchari)

Aplicar o produto ao início da eclosão dos ovos

Melancia

(ar livre e estufa)

Lagartas (Autographa gamma, Helicoverpa armígera, Spodoptera exígua, Spodoptera littoralis)

 

20-25 mL /hL

200-250 mL /ha

3

Aplicar o produto no início da infestação, repetindo se necessário a intervalos de 7-14 dias, e seguindo as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

 

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

 

 



 

 

Prejudicial para o
Meio Ambiente

 

Advertências de perigo

H410 - Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.

Recomendações de prudência

P101 - Se for necessário consultar um médico, mostre-lhe a embalagem ou o rótulo. 

P102 - Manter fora do alcance das crianças.

P260 - Não respirar a nuvem de pulverização.

P270 - Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.

P280 - Usar luvas de protecção e vestuário de protecção.

P301+P310 - EM CASO DE INGESTÃO: contacte imediatamente um CENTRO DE INFORMAÇÃO ANTIVENENOS ou um médico.

P391 - Recolher o produto derramado.

P501 - Eliminar o conteúdo/recipiente de acordo com regulações aplicáveis.

SP 1 - Não poluir a água com este produto ou com a sua embalagem. (Não limpar o equipamento de aplicação perto de águas de superfície./Evitar contaminações pelos sistemas de evacuação de águas das explorações agrícolas e estradas).

SPe3 - Para proteger organismos aquáticos, respeite uma zona-tampão não-pulverizada de 5 metros para revestir massas de água.

SPe8 - Perigoso para abelhas. Para proteger abelhas e outros insetos, não aplique a plantas cultivadas quando estiverem no estado de floração. Não aplique quando houver ervas florescentes. Contato direto ou contato com resíduos húmidos é perigoso para abelhas. Os resíduos secos de espinosade são quase nunca tóxicos para abelhas. 

SPo5 - Arejar bem as estufas tratadas antes de nelas voltar a entrar.

SPoPT6 - Após o tratamento lavar cuidadosamente as luvas, tendo cuidado especial em lavá-las por dentro.

Informação suplementar

EUH210 - Ficha de segurança fornecida a pedido.

EUH401 - Para evitar riscos para a saúde humana e para o ambiente, respeitar as instruções de utilização.

EUH208 - Contém 1,2-benzisotiazol-3(2H)-ona. Pode provocar uma reacção alérgica.

 

 

Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 800 250 250

 

Este produto destina-se ao uso proffisional. Para evitar riscos para os seres humanos e para o ambiente, respeitar as instruções de utilização.

 

 

Precauções Biológicas

 

- A aplicação sistemática deste produto pode conduzir a situações de resistência. Para o evitar, não aplicar produtos com o mesmo modo de acção sobre gerações consecutivas de insectos, usando o SPINTOR em alternância com insecticidas de diferente modo de acção;

- Para protecção das abelhas e de outros insectos polinizadores não utilizar este produto durante o período de presença das abelhas nos campos.

PRODUTOS

ONDE COMPRAR

Localize o distribuidor mais perto de si:

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

CONTACTOS

Sede

Rua General Ferreira Martins, n 10-9A

1495-137 Algés

Ligue-nos

Telefone: +351 214 131 242

Fax: +351 214 131 284