Dia do Agricultor

Dia do Agricultor mostrou inovação na produção de cereais, forragens e leguminosas

 

 

Mesa da sessão de abertura do Dia do Agricultor: Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, Presidente do INIAV, Nuno Canada, Benvindo Maçãs, coordenador científico do polo de Elvas do INIAV

Mesa da sessão de abertura do Dia do Agricultor: Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, Presidente do INIAV, Nuno Canada, Benvindo Maçãs, coordenador científico do polo de Elvas do INIAV

 

Celebrou-se a 15 de Maio, em Elvas, o Dia do Agricultor, evento organizado há 36 anos pelo INIAV-Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e que tem como anfitrião o polo de Elvas. Trata-se de um dia de portas abertas aos agricultores para mostrar o trabalho de melhoramento de plantas e obtenção de variedades realizado nesta instituição, em estreita colaboração com as empresas do setor agrário, entre as quais a Lusosem, que desde a sua fundação tem sido um parceiro ativo do INIAV na vertente do melhoramento de sementes.

 

Dia do Agricultor - Visita ao Projecto Lista de Variedades Recomendadas de Trigos de Qualidade

Projecto Lista de Variedades Recomendadas de Trigos de Qualidade

Projecto LVR

 

O dia iniciou-se com visitas a campos de ensaio de cereais praganosos, proteaginosas, pastagens, forragens e olivicultura, instalados no polo do INIAV em Elvas, nos quais decorrem vários programas de investigação. Os ensaios de trigo mole e trigo duro aqui realizados anualmente, desde 2003, e também em Beja, para a Lista de Variedades Recomendadas (LVR) é um projeto de fileira com grande mais-valia para produtores e indústria, permitindo selecionar as variedades mais produtivas e com melhor qualidade de grão para uso na indústria de massas e pão. Segundo Benvindo Maçãs, coordenador científico do polo de Elvas do INIAV, tem havido boa adesão dos agricultores à LVR. Entre as variedades em teste na atual campanha estão incluídas seis comercializadas pela Lusosem: Antalis, Athoris, Celta (trigo duro), Aficion, Galera e Nogal (trigo mole).

 

Trigo Duro Athoris

Trigo Mole Nogal

Seis variedades de trigo em ensaio para a Lista de Variedades Recomendadas são comercializadas pela Lusosem

 

Outra linha de investigação relevante para o setor é o projeto “Ideotipo Sul”, que visa criar variedades de trigo para a região mediterrânica adaptadas aos riscos atuais e futuros das alterações climáticas, através de genética e de um itinerário técnico da cultura ajustado ao potencial do ano agrícola, aumentando a eficiência do uso dos fatores de produção. Os ensaios de trigo, em regadio e sequeiro, decorrem no INIAV em Elvas e também em França, na Itália e na Tunísia.

 

No campo dedicado às forragens estudam-se várias combinações entre espécies leguminosas (como a ervilhaca e o trevo) e cereais (triticale e aveia) para obter misturas forrageiras com elevado teor de proteína para alimentação do gado. Os técnicos do INIAV têm concluído que nestas misturas os cereais são a componente que garante maior índice produtivo, enquanto as leguminosas asseguram um elevado teor de proteína. É indispensável a escolha das variedades mais indicadas ao solo e ao clima da região, de modo a que ocorra uma boa sincronização do ciclo das espécies. O corte das forragens deve ser realizado quando as leguminosas estão na fase de floração e os cereais na fase leitosa de enchimento do grão. Esta sincronização permite conjugar qualidade e produtividade das forragens.

 

Minimizar a pegada de carbono da pecuária extensiva

 

O tema da mesa redonda do Dia do Agricultor foi a “Sustentabilidade da produção animal nos sistemas extensivos mediterrânicos”, onde se abordou a importância da produção de forragens e pastagens de alta qualidade para assegurar alimento ao gado durante todo o ano. Manuel Cancela de Abreu, investigador da Universidade de Évora, referiu que existem em Portugal 1,7 milhões de hectares de pastagens permanentes e 406 mil hectares de culturas forrageiras, sendo os ruminantes os únicos que podem converter estas culturas em valor acrescentado, através da produção de carne.

 

O tema das emissões de metano e de CO2 pelos ruminantes foi abordado, tendo ficado claro que há várias técnicas para minimizar a peugada de carbono da pecuária extensiva: a ingestão de forragens ricas em proteína podem ajudar a reduzir até 25% a produção de metano pelos ruminantes e as pastagens, que captam CO2 da atmosfera fixando-o no solo através das raízes, criam um balanço carbónico positivo face às emissões de gases com efeito de estufa pelos ruminantes. Por outro lado, nos EUA e no Canadá as estratégias mais recentes incluem a seleção de animais que são simultaneamente mais eficientes na produção de carne e na redução de emissões de metano. É uma técnica designada de “gestão alimentar residual”, que permite reduzir até 80% das emissões de metano para a atmosfera. Em Portugal há ensaios para aplicar esta técnica, nomeadamente por produtores da Carnalentejana. Outras abordagens possíveis são a administração de vacinas de imunização aos ruminantes para combater as substâncias metanogéneas produzidas no seu rúmen, permitindo reduzir até 50% as emissões de metano.

 

O solo rico em matéria orgânica é um elemento crucial para aumentar a produtividade das pastagens e, simultaneamente, fixar CO2. Daí que Mário Carvalho, também investigador da Universidade de Évora, defenda deste há muito estratégias de melhoramento das pastagens através de correções dos níveis de nutrientes do solo. Quanto às forragens, aconselha a semear o mais cedo possível para maximizar o crescimento das plantas (produção de biomassa) no Outono-Inverno, aproveitando os períodos de chuva. Ainda do seu ponto de vista, é aconselhável usar o regadio sobretudo para produção de forragens no Inverno, o que permite elevada percentagem de engorda do gado.

 

O responsável da IACA – Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais, dando o exemplo do laboratório colaborativo Inovfeed – Jaime Piçarra, Estratégias de alimentação inovadoras para uma produção animal sustentável, liderado pelo INIAV, considerou que está a emergir «um novo paradigma na produção de ruminantes que permitirá criar uma imagem positiva sobre a pecuária na opinião pública»

 

Mesa redonda sobre Sustentabilidade da produção animal nos sistemas extensivos mediterrânicos

Mesa redonda sobre “Sustentabilidade da produção animal nos sistemas extensivos mediterrânicos”

 

A sessão de encerramento contou com a presença do Ministro da Ciência, Manuel Heitor, de quem ficámos a saber que Portugal investe menos de 2% do seu PIB em investigação e desenvolvimento, mas quer igualar a média europeia até 2030. O Ministro da Agricultura, Luis Capoulas Santos, encerrou o Dia do Agricultor dando como quase 100% seguro que Portugal não verá reduzido o seu orçamento para a agricultura no próximo quadro comunitário de apoio 2021-2027, embora na proposta da Comissão Europeia esteja em causa um corte de 400 milhões de euros para o nosso país.

 

Da parte da tarde decorreram visitas de campo à Herdade da Comenda, onde decorrem ensaios de produção de forragens, de aplicação de azoto em cevada dística para malte e campos de multiplicação de sementes de variedades de cereais e proteaginosas.

PRODUTOS

ONDE COMPRAR

Localize o distribuidor mais perto de si:

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

CONTACTOS

Sede

Rua General Ferreira Martins, n 10-9A

1495-137 Algés

Ligue-nos

Telefone: +351 214 131 242

Fax: +351 214 131 284